home
Equipe   |   Sobre a Rádio Bandeirantes   |   Podcast   |   Fale Conosco     
Notícias      Colunistas       Fotos       Especiais       Programação       Escola Voluntária       Comercial
     Política   |   Economia   |   Esportes   |   Saúde   |   Outras Notícias

FALE COM A RB


RB NO CELULAR

Saiba mais

PROGRAMAS
  90 Minutos
  Antenados
  A Caminho do Sol
  Arquivo Musical
  Bandeirantes Acontece
  Bastidores do Poder
  Chansons D`Amour
  Concentração
  Domingo Esportivo Bandeirantes
  Esporte em Debate
  De Primeira
  Esporte Notícia Internacional
  Fôlego
  Jornal de Amanhã
  Jornal Gente
  Jornal Primeira Hora
  Memória
  Na Estrada
  O Pulo do Gato
  Pole Position
  Rádio Livre
  RádioDoc
  RB News
  Resenha, Futebol e Humor
  Sábado de Classe
  Terceiro Tempo
  Você É Curioso?
» Sábado, 05 de novembro de 2016 - 07h10
Presidente do Santos se revolta com mudança do jogo com Ponte e diz que irá pessoalmente à CBF
Nesta sexta-feira, faltando pouco mais de 24 horas para o jogo entre Ponte Preta e Santos, no Moisés Lucarelli, foi anunciado que, a pedido da Polícia Militar, a partida foi transferida para as 11h de domingo, também no estádio da Macaca.

A decisão, tomada para evitar um possível confronto entre as torcidas da Ponte e do Guarani, que na noite deste sábado decide a Série C com o Boa Esporte, em Varginha (MG), revoltou o presidente do Santos, Modesto Roma Júnior.

O dirigente ainda insinuou que a mudança teria sido tomada para favorecer o Palmeiras, líder do Campeonato Brasileiro.

"Se fosse uma decisão racional, OK. Podiam ter mudado o jogo para qualquer campo, mas tomaram a pior decisão, que foi alterar o jogo para o pior horário da manhã, complicado para o metabolismo do jogador. Aí vão dizer que muda para os dois. Muda coisa nenhuma. O Santos está disputando o título brasileiro. Se é para entregar para o Palmeiras, façam isso de uma vez", disse em entrevista à Rádio Bandeirantes.

O dirigente disse ainda que não aceita a decisão e que irá pessoalmente à CBF para formalizar seu protesto.

"O Santos vai protestar e não aceita essa decisão, mas vai entrar em campo para respeitar o torcedor e o regulamento. Isso é uma vergonha e uma mácula indelével para o Campeonato Brasileiro de 2016. Os atletas têm que descansar para o jogo. O Santos vai trabalhar para entrar com um protesto na CBF. Na segunda-feira, eu vou pessoalmente à CBF", concluiu

Ouça agora:
Download: